Com campanha mais restrita em propaganda de rua candidatos partem para o corpo-a-corpo.

A campanha eleitoral de 2018 é uma das mais restritas dos últimos anos em propaganda visual de rua. Desde 2006, o legislador tem criado regras que tem contribuído para a diminuição da poluição visual nas cidades, em busca de redução de custos e maior equilíbrio nas disputas .

A propaganda móvel foi reduzida a bandeiras e mesas para distribuição de materiais. Bonecos e cavaletes não são permitidos. O carro de som, de quem ninguém sentirá falta, teve seu uso limitado a carreatas, caminhadas e passeatas ou durante reuniões ou comícios.

Na propriedade particular, que a legislação chega ao extremo em regular, só podem ser afixados adesivos ou papel, medindo até meio metro quadrado. Pinturas, placas e faixas em muros particulares não são permitidos.

Com isso, os candidatos passaram a ter que se aproximar mais do eleitor através do corpo-a-corpo, como é o caso do  candidato a deputado federal pastor Nelquiades (PSC) que neste sábado (8) visitou o Mercado do Produtor para viabilizar sua candidatura junto aos cataguasenses. Ele conversou e ouviu diversas pessoas no local. Logo após,  acompanhado de uma pequena  equipe de panfletistas, o líder da igreja Assembleia de Deus,  percorreu o comércio da cidade partindo da Vila Domingos Lopes rumo a parte alta do calçadão, no centro da cidade.

Já o candidato a deputado estadual, o ex-vereador Fernando Pacheco (PHS), durante a semana visitou os bairros Ana Carrara e Leonardo.

Be the first to comment on "Com campanha mais restrita em propaganda de rua candidatos partem para o corpo-a-corpo."

Leave a comment

Your email address will not be published.


*